COMUNIDADE AMIGOS PARA SEMPRE  
AMIGOS PARA SEMPRE (amigos de verdade)
AMIGOS PARA SEMPRE (amigos de verdade)

 

 

 

 

“A esperança dos ímpios é a ira, mas o desejo dos justos é sempre o bem”. (Provérbios 11:23).

“O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões”. (Provérbios 10:12).

Tom e Johnny eram bons amigos, mas um dia, os dois se desentenderam...

 

Johnny e Tom

 

Johnny era um garoto

De grande sensibilidade;

Deixava transparecer

Uma expressão de bondade.

 

Parecia um jovem tímido

Em tomar suas decisões...

Não encontrava alternativa,

Em certas situações.

 

Um dia o amigo Tom,

Chamou a sua atenção;

Johnny se enraiveceu...

Ficou de mal, sem razão.

 

Ele deixou de falar

Com seu amiguinho Tom;

Que clima desagradável...

Isso não foi muito bom!

 

Embora estudassem juntos,

Ficaram sendo inimigos;

Mas o tempo encarregou-se

Em torná-los bons amigos.

 

É fato muito importante,

Podermos nos preocupar;

Quando se perde um amigo,

Em busca ir resgatar.

 

 Só sabemos dar valor,

Quando então nós o perdemos;

 É importante zelarmos

Das amizades que temos.

 

Com isso, Tom sofreu muito, pois Johnny era seu amigo muito querido.

“Em todo o tempo ama o amigo; e na angústia nasce o irmão”. (Provérbios 17:17).

Tom ficou muito preocupado... Pensou bastante e resolveu pedir uma chance para Johnny.

Pediu-lhe desculpas por tudo que aconteceu e, a resposta de Johnny foi sim.

Que bom. Agora ambos conseguiram reconquistar a amizade perdida.

 

Hoje, Tom e Johnny são verdadeiros amigos... São amigos de verdade.

 

Que bom Você voltou!

 

O sol da esperança

Voltou a brilhar...

E a alegria retorna

Ao coração de Tom,

 

Que pede uma chance

Ao seu amigo Johnny...

E este lhe diz, sim...

Isto é muito bom.

 

Assim, os dois amigos,

Que não mais conversavam,

Retornam à amizade

Que tanto precisavam.

 

Tom, muito comovido,

Ao amigo Johnny, diz:

 - Que bom, você voltou!...

Estou muito feliz!

 

E Johnny, também pôde,

Brindar a amizade...

Mostrando seu carinho

E a sinceridade...

     Luiz Rosa